Mudança repentina de comportamento pode ser sintoma de Alzheimer

Caso algum familiar seu (seja sua avó, mãe, tia ou você seja apenas uma cuidadora) era uma pessoa extremamente calma, tranquila e entretanto, nos últimos tempos esta pessoa tem mudado seu comportamento de forma repentina, tornando-se de forma constante uma pessoa agressiva e agitada, isto pode ser um alerta, não necessariamente que seja! Mas todo cuidado e atenção é pouca.

Segundo especialistas em Alzheimer em uma Conferência da Associação Internacional de Alzheimer, realizada no Canadá, os mesmos propuseram a criação de um novo critério de diagnóstico para a doença, que envolve as mudanças de humor e comportamento.

Por sua vez a pesquisa aponta que as alterações emocionais e de comportamento seriam um sintoma, mesmo que disfarçado e que faz parte da demência, principalmente dos estágios iniciais do Alzheimer.

Segundo esses especialistas presentes na Conferência, é de extrema importância observar e buscar medir as mudanças repentinas de humor e comportamento.

Estas alterações de cada pessoa pode ser um início dos problemas que afetam a memória na qual tanto se caracterizam o Alzheimer.

Um exemplo citado pelo estudo de mudança brusca de comportamento é o caso de um senhor que aos 68 anos começou a usar cocaína. Essa mudança de forma inesperada de humor e comportamento foi bem antes do surgimento de problemas de memória e, mais tarde, do diagnóstico da doença de Alzheimer.

De acordo com os pesquisadores, essas mudanças de humor e comportamento não são analisadas com a devida importância pela maioria dos médicos.

Com isso, os pesquisadores sugeriram um novo critério de diagnóstico que consiste em uma lista de mais de 30 perguntas que podem ser usadas para auxiliar na identificação das pessoas com chances maiores de desenvolver Alzheimer. Essas perguntas seriam acrescentadas aos já tradicionais critérios de diagnóstico.

Nova proposta de método de diagnóstico

A série de perguntas propostas pelos pesquisadores tem como objetivo analisar 5 categorias de sintomas comportamentais. Entre eles estão: apatia, ansiedade em relação a eventos cotidianos, adequação social, perda do controle sobre os impulsos e falta de interesse pela comida.

Para se ter uma noção de como funciona, algumas perguntas são:

  • “A pessoa se tornou agitada, agressiva, irritável ou temperamental?”
  • “Não se importa com mais nada?”
  • “Possui crenças irrealistas sobre seu poder, riqueza ou habilidades?”
  • “Não sente mais curiosidade em tópicos que normalmente iria ter atraído sua/seu interesse?”
  • “A pessoa fica mais facilmente frustrada ou impaciente?”
  • “Parece faltar o julgamento social ela/ele tinha anteriormente sobre o que dizer ou como se comportar em público ou ambiente privado?”
  • “A pessoa desenvolveu a desconfiança sobre as intenções ou motivações de outras pessoas?”

Já existem estudos que sugerem que mudanças emocionais e comportamentais são sintomas indicativos do processo de demência. Aliás, recentemente foi realizado um estudo que associa o humor ao Alzheimer, o que reforça o fato de que o olhar deve ser direcionado também para os fatores emocionais.

Sabemos que quanto mais cedo o Alzheimer for diagnosticado e quanto mais cedo o tratamento começar melhor será a qualidade de vida do portador e da família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *